Logomarca NCA Comunicação

Mar02

Cumprimento da pena criminal após decisão de segunda instância: argumentos jurídicos x política criminal populista

Categorias // Artigos, Destaques Lidos 886

Desde 05 de fevereiro de 2009, quando o Supremo Tribunal Federal julgou o Habeas Corpus 84.078, passou-se a se interpretar que a prisão só poderia ser executada após o trânsito em julgado da sentença penal condenatória, nos termos do art. 5º, inciso LVII da Constituição da República: ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória. Os argumentos então utilizados pelo STF giraram em torno do fato de que a prisão preventiva poderia ser executada a qualquer momento e que a ampla defesa se exerce em todas as instâncias.

Nada obstante esse precedente, o STF pretendeu estabelecer novo paradigma sobre a questão, ao julgar, através de seu plenário, o Habeas Corpus 126.292, em 17 de fevereiro último. Deliberou-se naquela oportunidade que a possibilidade de início da execução da pena condenatória pode-se se dar logo após a confirmação da sentença em segundo grau, e que esse procedimento não ofenderia o princípio constitucional da presunção da inocência.

Em primeiro lugar, e se é possível se aceitar a argumentação de que princípios não são absolutos, também é correto se afirmar que seu núcleo não pode ser reduzido ao ponto de perder completamente o significado. A prisão preventiva já é uma exceção ao princípio da presunção da inocência. Ela existe, é aplicada com freqüência, e atende às hipóteses nas quais o acusado apresenta ameaça à ordem pública, à instrução processual ou ainda se há risco de que venha a empreender fuga, nos termos do art. 312 do Código de Processo Penal. Precisamos reduzir ainda mais o núcleo do princípio da inocência até o ponto em que sem fundamentos para preventiva, e com recursos ainda pendentes, se possa decretar a prisão de um acusado? Será que não poderíamos estabelecer a seguinte regra: se há razões para se decretar a preventiva, que ela seja imposta, e se não há, que se aguarde o trâmite de todos os recursos?

Em segundo lugar, a argumentação do novo paradigma segundo a qual os recursos dirigidos aos tribunais superiores “não se prestam a discutir fatos e provas, mas apenas matéria de direito, quando se fixa a responsabilidade criminal do acusado” como revela o acórdão condutor do Habeas Corpus em debate, soa no mínimo estranha. É que, por exemplo, a desclassificação de um crime mais grave para outro menos grave, sem discussão de fatos e provas, é matéria de direito. Mas que pode representar prisão ou liberdade. Em outra hipótese, a discussão sobre o parâmetro da pena, sem discussão de fatos e provas, também é algo que pode redundar em prisão ou liberdade. Se nesses dois hipotéticos casos seria fundamental que a ampla defesa fosse exercida em todas as instâncias, é de se imaginar quantos outros casos reclamam a mesma solução.

Em terceiro lugar, e se a questão não é jurídica (pois os argumentos do HC 84.078, como os dois acima, não foram superados) mas é de política criminal (uma suposta “luta” contra a impunidade e contra a demora no julgamento dos recursos) pode-se indagar: por que os recursos nos tribunais superiores não são julgados de forma mais rápida? Por que tanto STJ quanto STF ficam sem realizar julgamentos durante 80 dias por ano (férias de janeiro e julho e recesso de dezembro)? Assim, os recursos poderiam ser julgados mais rapidamente, e as causas poderiam ter seu desfecho com a prisão, se assim todas as instâncias decidissem. Mas ao invés de mais julgamentos pautados na presunção de inocência e ampla defesa, o caminho mais fácil é atacar esses mesmos direitos e se regozijar com a sanha penalizadora do povo. Poderíamos esperar isso dos programas policiais que infestam os lares. Não do Supremo Tribunal Federal.

Francisco Monteiro Rocha Júnior  é coordenador da pós-graduação em Direito e Processo Penal da ABDConst. Doutor e Mestre em Direito pela UFPR. Professor Substituto de Direito Penal da UFPR. Advogado Criminalista
Francisco Monteiro Rocha Júnior é coordenador da pós-graduação em Direito e Processo Penal da ABDConst. Doutor e Mestre em Direito pela UFPR. Professor Substituto de Direito Penal da UFPR. Advogado Criminalista
blog comments powered by Disqus

Blog da Bebel

Novo espaço 1903 Batel inova em união de conceito de gastronomia e motocicletas

Empreendimento no Batel traz conceito sofisticado e moderno em um espaço descontraído

Leia aqui

BE CAUSE - Campanha de Ajuda Humanitária

Evento promove intercâmbio entre as diversas culturas de refugiados em Curitiba

Leia aqui

Uma vida dedicada à inclusão

Norte-americano Brad Guidi falou em Curitiba sobre o Camp Big Sky, iniciativa que oferece lazer e conhecimento a pessoas com deficiência de todas as idades

Leia aqui

Flagrantes do Mundo Jurídico

Ódio no Coração.

Infelizmente gerações de brasileiros ainda não souberam o que é viver em um país próspero, seguro e bem governado. Claro que não vou às raízes do Brasil colônia ou império porque seria muito exagero sondar um passado tão mal contado, com episódios históricos envoltos em fatos e fantasias. Tem muita coisa encoberta nos textos da história que aprendemos na escola.

Leia aqui

O Homem que Roubava Processos.

Como é bom e útil ler livros; não importa o nome dos autores e sim seus conteúdos; sejam de histórias, contos, técnicos, ficção ou de autoajuda.

Leia aqui

Nunca Mais!

Como é dia de descanso vou procurar escrever alguma coisa que não perturbe a mente, nem exija reflexões e muito menos sirva para aborrecer. Afinal domingo é um dia para não pensar muito e esquecer-se dos enigmas do cotidiano.

Leia aqui

No balcão sem frescura

Italianos e o Churrasco...

Quando criança, íamos passar o final de semana na chácara em São Luiz do Purunã. Me recordo de acordar aos domingos com o sino da igreja soando de maneira extremamente delicada, é algo que até hoje tem um significado

Leia aqui

Festival de Petisco em bares de Curitiba

Os amantes das comidas típicas de bares assim como eu, poderão se deliciar com o 1º Festival de Petisco de Curitiba

Leia aqui

“Típica dos botecos”, carne de onça vira patrimônio de Curitiba

Votação unânime na Câmara de Vereadores, nesta segunda-feira (5), promoveu a carne de onça – “uma comida típica dos botecos” – a patrimônio cultural imaterial de Curitiba (005.00096.2016)

Leia aqui

Mamãe, eu quero!

4ª Corrida Kids no Shopping Jardim das Américas

O evento mais esperado do Shopping Jardim das Américas já tem data marcada

Leia aqui

Férias em Curitiba

Está faltando ideia de programação para as férias? Fizemos um roteirinho para ajudar!

Leia aqui

Bolachas Decoradas de Natal entram na lista de presentes

Uma receita familiar é o início da história das Bolachas Vovó Elza

Leia aqui

E-ticket

Viajar de carro no Brasil

Cada vez mais as road trips são um novo segmento de destaque entre os Brasileiros. O resgate de viajar de carro é poder explorar e conhecer sem pressa os encantos de cada região

Leia aqui

Barreado fora de Morretes!!

Com esses dias frios, nada como comer bem. A dica de hoje é uma tradicional receita do litoral Paranaense: o barreado. Mas nem só em Morretes, podemos degustar essa maravilha e por isso mesmo listamos algumas opções locais imperdíveis

Leia aqui

Chope nas alturas

Sim, a notícia mais comentada da semana no setor de Turismo, depois das Olimpíadas, foi a divulgação da companhia aérea holandesa KLM que a partir de agosto, passará a servir chope de barril em seus voos

Leia aqui

Aplausos

Raimundo celebra 25 anos do disco de estreia em Curitiba

A turnê comemorativa de lançamento do álbum homônimo de estreia tem como convidado ilustre: Fred Castro, baterista original do grupo e passa pela capital paranaense no próximo dia 06 de abril na Ópera de Arame. Ingressos já estão à venda

Leia aqui

Gabriel O Pensador se apresenta de forma gratuita em Curitiba

Pocket show no dia 28 de fevereiro abre a programação do Conexão Shopping Curitiba de 2019

Leia aqui

Cantor americano BLACKBEAR traz show inédito a Curitiba

Pela primeira vez no Brasil, rapper se apresentará no palco da Ópera de Arame. Os ingressos já estão à venda

Leia aqui